10 de abril de 2010

Isso é o Lula e o Cabral... brincando com a vida e a inteligencia das pessoas. Cariocas, vamos mostrar ao Brasil quem é essa raça.

Enviado por Ricardo Noblat -
9.4.2010
| 21h17m
Recordar é viver

Lula se diz contrário a remoções em favelas

Segundo presidente, que lançou programa no Cantagalo, beneficiados não serão retirados por "governador enxerido"

De O Globo em 1/12/2007:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem de manhã, durante o lançamento das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Morro do Cantagalo, em Ipanema, que é contra a remoção de moradores de favelas.

- Todo mundo que não tem o título da sua terra vai ter o título, para que tenha certeza de que o terreno é seu e não virá nenhum prefeito, nenhum governador enxerido mandar a polícia tirar os companheiros de lá - disse Lula.

Ele elogiou a iniciativa do governador Sérgio Cabral, que assegurou que todos os moradores ganharão título de posse dos imóveis. O ministro das Cidades, Márcio Fortes, afirmou que outras comunidades, como Andaraí e Jacarezinho, poderão ser beneficiadas se o governo tiver recursos.

Cabral, que acompanhou Lula na solenidade, prometeu dar os títulos no dia da inauguração das obras do Complexo Cantagalo-Pavão-Pavãozinho, que vão custar 35, 2 milhões.

(...) O presidente também disse que a violência na cidade não é tão grave assim:

- Eu acho que não é justo o Rio de Janeiro aparecer na imprensa nacional apenas nas páginas policiais. Não é normal e não é justo. Ora, é verdade que tem bandido, mas bandido tem em qualquer lugar do mundo. A maioria, 99% do povo do Rio de Janeiro, é um povo que quer trabalhar, que quer estudar, que quer viver em paz. Mas, do jeito que aparece, às vezes, parece que tudo aqui está uma desgraceira só, quando não está.



Enviado por Ricardo Noblat -
9.4.2010
| 17h40m

Sérgio Cabral: ‘A culpa é de toda a sociedade’

Do G1:

Ao falar sobre os deslizamentos que deixaram um rastro de mortes após as chuvas que castigaram o estado do Rio, o governador Sérgio Cabral afirmou que “a culpa é de toda sociedade”.

“A culpa é de toda a sociedade. No Rio, direitos humanos e ordem pública eram vistos como se fossem contraditórios. E, pelo contrário, ordem pública traz melhorias aos direitos humanos”.

Em visita ao Morro do Bumba, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, Cabral disse ainda que a demagogia, a permissividade e a autorização para construção de casa em áreas de risco contribuíram para a tragédia.

“Isso foi um alerta grande. Uma demonstração de que é necessário fazer ações para impedir a ocupação irregular”.

Ainda de acordo com o governador Sérgio Cabral, a ocupação irregular deve ser tratada como um desafio tão grande como a violência no Rio de Janeiro.

(Comentário meu: Você, carioca, se sente culpado pela tragédia que matou até agora 195 pessoas no Rio de Janeiro e soterrou de 100 a 150 em Niterói?

Quem autoriza a construção de casas em áreas de risco?

Que desconhece o número de áreas de risco? O último levantamento tem 10 anos.

O morador da área de risco tem culpa? Se pudesse ele escolheria morar em uma área de risco?

Para que servem os governantes?

Sem essa, seu Cabral!

Professores da Universidade Federal Fluminense, por exemplo, estudaram as condições do morro onde cerca de 200 pessoas acabaram soterradas em Niterói. Durante décadas funcionou ali um lixão.

Compararam a área a uma bomba prestes a explodir. Explodiu. Os estudos não foram levados em conta por sucessivos prefeitos.

Tentar dividir a culpa pela tragédia com a sociedade é uma maneira esperta, mas inócua, de diminuir a culpa de quem foi eleito para governar. E foi um governante relapso.)


Extraído do Blog do Noblat

5 de abril de 2010

Mortadela mais magra

Pesquisadores usaram fibras de frutas para produzir o alimento com menos gordura e calorias

Agência USP


Uso de fibras provenientes da laranja pera em mortadelas de frango possibilitou que o alimento obtivesse menor quantidade de gordura e redução de mais de 50% no teor calórico. Os resultados são positivos, pois foi possível manter as propriedades funcionais e sensoriais – como aroma, sabor e textura – da carne, além de trazer benefícios econômicos com a possível diminuição do preço da mortadela.

A pesquisa realizada pela nutricionista Rodicler Cerezoli Bortoluzzi mostra uma alternativa promissora para a enorme quantidade de fibra da laranja, existente em larga escala no Brasil devido à produção do suco de laranja. Após obter a polpa em uma fábrica de suco de laranja e processá-la até que virasse pó, o produto foi inserido no processo de fabricação da mortadela de frango como substituto de grande parte da gordura antes utilizada.

“Com a substituição de gordura pela fibra obtida da polpa de laranja verificamos que houve redução de até 70% de gordura e o teor calórico diminuiu 51%. Foram resultados importantes porque mostram que esse subproduto do processamento da laranja pode ser uma alternativa interessante para contribuir com o déficit de fibra na alimentação de quem costuma consumir muitos produtos cárneos”, afirma a pesquisadora.

A porcentagem da fibra da polpa de laranja usada na fabricação da mortadela variou de 1 a 3% e não chegou a afetar a aparência e o gosto do alimento. Segundo a pesquisadora, “o uso dessas fibras não proporcionou apenas a redução de gorduras e calorias, mas ajudou a reter água do alimento e, por meio da análise de microscopia ótica, foi observado que a adição de fibra melhorou a estabilidade da emulsão”.

Durante o processo de trituração da polpa da laranja, a pesquisadora dividiu as fibras obtidas em três categorias: finas, médias e grossas. Segundo Rodicler, “a pesquisa utilizou apenas a mortadela que sofreu adição das fibras finas, pois quando utilizadas as duas outras categorias as fibras ficaram aparente no produto final. Já a mortadela de frango feita com fibras finas não sofreu alterações em sua aparência e mostrou-se muito funcional”.

Benefícios

Além dos menores teores calórico e de gordura, a mortadela de frango feita com fibra de laranja oferece a possibilidade do consumidor suprir o déficit de fibra em sua alimentação. “Os produtos a base de carne, não costuma apresentar fibras em sua composição. O uso dessa alternativa proposta pela pesquisa ajuda a aumentar significativamente a presença de fibras nesse produto cárneo e pode beneficiar a alimentação”, explica Rodicler.

A fibra de laranja possui uma proporção de fibra solúvel e insolúvel recomendada como ideal para promover os benefícios a saúde. Vários estudos relacionam o consumo de fibras com a prevenção de enfermidades, como obesidade, diabetes e problemas cardiovasculares. O uso delas em produtos cárneos é interessante, pois com a possibilidade de retenção da água, o sabor e a suculência do alimento são mantidos e, muitas vezes, intensificados.

As fibras por apresentarem benefícios funcionais na mortadela de frango, também podem contribuir para a redução do uso de aditivos químicos, promovendo o que já se utiliza em outros países chamado de clean labor.

Apesar dos benefícios econômicos e para a saúde dos consumidores, a Legislação Brasileira não contempla nos Regulamentos Técnicos de Identidade e Qualidade dos produtos cárneos industrializados a adição de fibras, o que inviabiliza, pelo menos no País, a fabricação deste tipo de alimento.