28 de fevereiro de 2006

Clóvis, o melhor do Carnaval suburbano

No século XIX, o clóvis era interpretado por pessoas que se vestiam com macacões coloridos e usavam máscaras. Saíam pelas ruas batendo bola nas pessoas e violentamente no chão, assustando principalmente as crianças distraídas. Uma das características dos bate-bolas era não repetir as roupas para não serem reconhecidos.
As bolas eram feitas de bexigas de boi e até hoje uma fábrica tenta manter a tradição, mas o material está sendo substituído por plástico.


O personagem também é uma referência do Carnaval europeu, quando as pessoas se fantasiavam de palhaços em Carnaval de Veneza.

Além de assustar crianças e até adultos, o bloco de clóvis resiste, principalmente nos subúrbios, como digno representante do carnaval de rua carioca. A fuzarca no Rio exerceu um papel centralizador para a formação da folia nacional.

A foto do Evandro Teixeira - JB retrata um grupo de Clóvis mais sofisticado, os milhares encontrados durante o Carnaval Carioca são mais aterrorizantes para as crianças. Historiadores contam que a origem do termo Clóvis vem de clown (palhaço), utilizado pelos soldados americanos da Base Aerea de Santa Cruz quando viam os Bate-bolas mascarados.

27 de fevereiro de 2006

Florentino Pérez renuncia à presidência do Real Madrid

"O presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, apresentou esta tarde sua renúncia "irrevogável" à diretoria do clube, reunida em caráter extraordinário. Em comunicado no site oficial, os diretores do Real Madrid já aceitaram o pedido de demissão de Florentino Pérez. E, por unanimidade, decidiram que Fernando Martín, vice de Pérez, será o novo Presidente do clube, de acordo com o que mandam os estatutos internos do Real.

A princípio, esta reunião convocada às pressas seria para tratar sobre os últimos resultados da equipe. As derrotas para o Arsenal na Liga dos Campeões e para o Mallorca no Campeonato Espanhol. Também seriam discutidas as declarações do atacante Ronaldo, que revelavam a insatisfação do craque em jogar no Real Madrid, bem como as respostas ásperas ao brasileiro do atacante Raúl Gonzalez.
Florentino Pérez chegou ao posto de presidente em 2000, e logo impôs sua filosofia de trabalho. Pérez transformou a equipe de futebol em objeto de desejo durante seu mandato, foi nesta época que o Real Madrid ganhou o apelido de "Galácticos", por reunir uma legião de craques. Figo, Owen, Beckham, Zidane, Robinho e Ronaldo são alguns nomes de destaque desta fase madrilhista.
O retorno econômico foi espetacular. O Real no início deste ano foi apontado como o clube mais rico do mundo, superando os ingleses do Manchester United que se vangloriavam há vários anos como os donos da maior fortuna. Entretanto, o dinheiro e o glamour não trouxeram o resultado que a torcida merengue tanto esperava. Há três anos o Real não conquista um título de expressão, vários treinadores passaram pelo banco de reservas do Santiago Bernabéu, mas nenhum deles conseguiu permanecer por muito tempo.
Mesmo sem conquistas recentes, Florentino Pérez formou um currículo invejável. Em seis anos como presidente, conquistou uma Liga dos Campeões (2002), um Mundial Interclubes (2002) e dois títulos espanhóis (Temporadas 00/01 e 02/03).
O presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, apresentou esta tarde sua renúncia "irrevogável" à diretoria do clube, reunida em caráter extraordinário. Em comunicado no site oficial, os diretores do Real Madrid já aceitaram o pedido de demissão de Florentino Pérez. E, por unanimidade, decidiram que Fernando Martín, vice de Pérez, será o novo Presidente do clube, de acordo com o que mandam os estatutos internos do Real.
A princípio, esta reunião convocada às pressas seria para tratar sobre os últimos resultados da equipe. As derrotas para o Arsenal na Liga dos Campeões e para o Mallorca no Campeonato Espanhol. Também seriam discutidas as declarações do atacante Ronaldo, que revelavam a insatisfação do craque em jogar no Real Madrid, bem como as respostas ásperas ao brasileiro do atacante Raúl Gonzalez.
Florentino Pérez chegou ao posto de presidente em 2000, e logo impôs sua filosofia de trabalho. Pérez transformou a equipe de futebol em objeto de desejo durante seu mandato, foi nesta época que o Real Madrid ganhou o apelido de "Galácticos", por reunir uma legião de craques. Figo, Owen, Beckham, Zidane, Robinho e Ronaldo são alguns nomes de destaque desta fase madrilhista.
O retorno econômico foi espetacular. O Real no início deste ano foi apontado como o clube mais rico do mundo, superando os ingleses do Manchester United que se vangloriavam há vários anos como os donos da maior fortuna. Entretanto, o dinheiro e o glamour não trouxeram o resultado que a torcida merengue tanto esperava. Há três anos o Real não conquista um título de expressão, vários treinadores passaram pelo banco de reservas do Santiago Bernabéu, mas nenhum deles conseguiu permanecer por muito tempo.
Mesmo sem conquistas recentes, Florentino Pérez formou um currículo invejável. Em seis anos como presidente, conquistou uma Liga dos Campeões (2002), um Mundial Interclubes (2002) e dois títulos espanhóis (Temporadas 00/01 e 02/03)."


Eurico Miranda e Marcio Braga são exemplos da quase totalidade dos dirigentes que tocam o futebol brasileiro.
Se somos os melhores do mundo não podemos esquecer que praticamente toda a seleção joga no exterior e os jogadores são acostumados a seguir orientações profissionais. Os contratos são respeitados, os direitos e as obrigações são claramente definidos. Organização associada ao talento sempre será o diferencial.

Vamos transformar nossos times em empresas e deixar que profissionais toquem os clubes. As torcidas e os atletas ganharão.
Exemplo de condução de um dirigente, o Eurico na ânsia de voltar a ser deputado, está arrastando o Romário para sua chapa e o jogador sendo motivo de chacotas pela forma e rapidez em chegar à marca de 1000 gols. Penalties inexistentes, amistosos com times do interior do Rio que rendem votos, times veteranos, enfim, uma apelação lastimável.
Não tenho dúvidas que jogando normalmente ele chega lá, mas os interesses do Eurico são imediatos, a coisa tem que acontecer antes de Outubro.
Exploraram o Garrincha que deu alegrias a todos e morreu pobre. O romantismo do futebol brasileiro perdeu para os empresários, para os dirigentes e agora está perdendo para as urnas.

26 de fevereiro de 2006

WALTER ALFAIATE, por Luís Pimentel

Uma das mais belas vozes da música brasileira

Diz um samba do Nei Lopes: “Mano Walter Alfaiate/Parceiro e amigo fraterno/Anote aí no seu caderno:/Eu quero fazer um terno/Caprichado no arremate/Com um corte bem moderno/Num pano verde-abacate”. Cantor e compositor, Walter Alfaiate é uma das mais belas vozes da Música Popular Carioca (e brasileira, naturalmente). Do time e do gabarito de Ciro Monteiro e de Roberto Silva. Também umas das mais belas figuras que conheço.
Tenho a honra de ser amigo do Walter, freqüentar o mesmo bar que ele, ser cliente de sua alfaiataria, puxar as palmas na primeira fila em seus shows e de já ter ouvido umas vinte vezes o CD Samba na medida. É o seu segundo disco (apesar da longa estrada) e foi lançado no começo deste ano, pela gravadora CPC-Umes. O primeirão veio à luz há uns quatro ou cinco anos, graças ao empenho pessoal dos compositores Marco Aurélio e Aldir Blanc, que criaram um selo para viabilizar a façanha. Aldir ainda fez, juntamente com Paulinho da Viola, o samba carro-chefe Botafogo chão de estrelas para o ferrenho botafoguense (do time) e botafoguista (do bairro).
Quem quiser cantar bonito tem que ouvi-lo. E quem quiser compor bonito tem que ouvir Mauro Duarte, Paulo César Pinheiro, Aldir e Nei Lopes – que estão todos no disco do Walter. E tenho dito.
Samba na medida é um belíssimo disco de samba, feito por um cantor que tem a medida do samba na ponta do pé e na embocadura. Walter é, também, um dos artistas mais queridos pela turma que acompanha a MPB de perto, indo a shows ou freqüentando rodas de samba.
Salve o grande Alfaiate! Que venha logo o terceiro CD. Sãos os votos meus e de todos os seus amigos e admiradores.

Li, gostei e divulguei.

"O violento carnaval do Rio de Janeiro
Áurea Alves & Fernando Toledo

O vento impelia as nuvens à dispersão – o Sábado de Carnaval amanhecera nublado. Começamos a descer as alamedas da Lapa, identificando, pelas esquinas das Ruas Riachuelo e Mem de Sá, grupos de pessoas animadamente prontas em vestes com a indumentária obrigatória desse dia: às nove da manhã, camisetas, saias, vestidos, shorts (muitos deles), ostentavam o branco e as bolas pretas. Atingindo a Rua Evaristo da Veiga, grupos fantasiados: eram todos amigos – de algum lugar; de algum motivo; de alguma data: e todos diziam estar presentes. Na calçada em frente, mesas umbilicalmente ligadas aos pequenos bares estavam repletas daqueles foliões, fantasiados e brindando à primeira ou à quinta cerveja. Estavam presentes e ali ficariam até o final do dia. Seguindo o caminho, passamos pela esquina com a Rua das Marrecas, cujo nome sempre nos incita à curiosidade quanto a sua origem. Rapidamente prosseguimos até atingirmos a Rua Alcindo Guanabara:
– Vamos dar uma passadinha no Carlitos, é inevitável não encontrar alguém – ponderou Fernando. De fato, embora se ouvisse o som do trombone e de outros metais, grande multidão concentrava-se ali, à espera do chope naquele dia meio gelado, servido por Saldanha, o mais lépido garçom do Carlitos.
Nada de mesas: todos em pé, como o senhor e senhora Moacyr Luz. Destes ouvimos comentários sobre um certo advogado paulista ligeiramente abdominiforme vestido de sereia.
“De sereia, não, era a Cuca”, declarou, praticamente em Juízo, como se sobre Bíblia sua mão estivesse, a advogada Cris, escudada pelo Dr. Barbosa, exímio rábula carioca.
Desfile de bloco, cordão ou banda sempre tem isso: o encontro de amigos. Sem eles não há graça, nem a principal característica do carioca: porque há que se preservar o bom humor, aquele que, durante o bloco, nos permite refletir sobre questões filosóficas que envolvem a Humanidade – afinal, foi ali que nasceu a idéia de se criar o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Frankfurt. Um deboche intelectualmente óbvio, mas com um típico acento de Samba de Mestrado Doido.
Enfim, encontrávamos os amigos que nos levaram a perseguir o Cordão do Bola Preta. Fomos andando, buscando identificar, entre o brouhaha babélico, o caminhão que, com a música, embalava animadamente a turba agradecida. Chegamos à frente ao prédio do Ministério da Fazenda e vimos o cordão passar, aliviados – pois tínhamos o medo bem humorado de nos perder de umas 40 mil pessoas.
Saídos de lá, levamos nosso Dr. Barbosa – secundado pela esposa e escudeira – , muitos amigos (em especial o mineiro Yasser) para a cerimônia de devorar, entre preces rituais, um delicioso e quentíssimo caldo de cabrito, servido dentro de uma broa portuguesa.
A partir daí, o Rio de Janeiro se desmonta mais em Rio, com todas as opções possíveis: nada muito especial, nada de carros de som iluminados. Sem frescuras.
“Vamos para um bloco em que vai sair um velho comunista, lá em Copacabana”, sugeriu Barbosa.
O sábado terminara sob chuva, batuque, e, findo o desfile, dado o abraço no velho comunista, separamo-nos. Nenhum sinal de violência. Embora as pernas doessem, o dia seguinte ensolarado nos impeliu à feira, para as compras domésticas. Ao meio-dia, tropeçamos numa banda. Esta patrocinada por um político do Bairro de Fátima. As mesmas mulheres maduras bronzeadas; as crianças do bairro; jovens; homens animados, como animado estava um senhor em cadeira de rodas, que parecia ter saído do leito exatamente para aquele momento. Como é simples a alegria e como é fácil conviver com os alegres. A alegria é simples, mas perfeita. Munidos dessa impressão, fomos ao almoço, preparando-nos para a noite. Nosso caminho foi o mesmo, e atenção foi dirigida para o palanque erguido no Largo da Lapa. Centenas de barracas, montadas desde antes, acolheriam mais tarde o público que assistiria aos shows. No palco, um homem, vestido de mulher, apresentava o show de um grupo de música, e, “animando" o público, avisava que logo, logo, haveria pagode, forró e até (com ênfase no até), samba. No Carnaval, e no Rio... – evidentemente, uma das criações mutantes de César, o Maia, como diria Fausto Wolff.
E continuamos, como Dedalus e Bloom...
Pelas escadarias do Teatro Municipal pudemos ver um grupo de jovens, muitos, vestidos com belas fantasias de "clóvis”. Típicos do subúrbio, especialmente da Zona Oeste, vestem-se como palhaços elegantes, segurando um bastão com uma corda à qual se prendia uma bola de borracha. Suas incursões em meio ao povo, em fila indiana que ora ondulava, eram marcadas pelas batidas de bolas no chão. Embora pouco sorrissem – a tática do palhaço – eram ordeiros e brincavam. Era impossível identificar alguém não fantasiado: a menina de uns 3 anos,com vestido de onça; os homens com fantasias de índios: perucas negras, traços nos rostos, feitas por esparadrapos brancos, tangas de plástico, roupas com franja. Nas cores preto, vermelho e branco, bem à moda apache, iriam, por certo, sair no Cacique de Ramos. Mais pessoas em cadeiras de rodas; carrinhos com bebês fantasiados. A família carioca estava ali, ao lado de turistas do Brasil e do mundo inteiro. O desfile de blocos possui um caráter bastante democrático: há o carro abre-alas, muito simples; o carro de som; um grupo pequeno de pessoas fantasiadas com as cores do bloco – grupo normalmente isolado do restante da multidão de um modo não acintoso. Atrás do bloco seguem naturalmente todos os demais foliões, que percorrem a passarela indiscriminadamente, na grande euforia. Não há distinção. E mais uma vez nenhum estranhamento.
É admirável como esta alma encantadora do carioca se preserva tão intacta e tão desconhecida do mundo, nesses dias de folia, em que a tristeza nem pode pensar em chegar: São os trabalhadores cariocas que saem às ruas com suas famílias, preservando a espontaneidade de se sambar. Não, leitores, não encontramos violência. Encontramos gente alegre – humilde ou rica – , gente cuja imagem não condiz com aquela veiculada pela televisão: garotas bonitas que trabalham duro; homens fortes que vêm da estiva ou das fábricas, ou mesmo dos barracões das escolas. Bem carioca, sim. Nesse meio não há crueldade, desconforto ou violência. É o que o Rio prazerosamente oferece àqueles que não sabem como é o seu Carnaval.

P.S.: Este artigo é dedicado à Velha Guarda da Portela (por provar, definitivamente, que desfile é uma coisa e sambista é outra) e ao jornalista Arthur Rocha, falecido no dia 13 de fevereiro último, grande conhecedor de Música Brasileira e amigo pessoal dos editores desta coluna. Valeu, Arthur. Foi divertido enquanto durou."
Revista Musical Brasileira


É um lado desconhecida da festa. Salve o Carnaval Carioca!

Depilação Artística

Coração, seta, estrela, letras...
Trata-se da virilha artística, um dos mais ousados métodos de depilação de todos os tempos. Os pêlos pubianos são retirados de acordo com o desenho escolhido e coloridos conforme o gosto da cliente. É você quem escolhe o formato que vai deixá-la de cara nova! Você teria coragem?
Como se faz?A depiladora Valquíria Rocha, da clínica de beleza Maria Bonita, explica que a técnica não é nada complicada: “Utilizamos um decalque para marcar a área do desenho e depilamos o resto normalmente. A dor é a mesma de uma depilação comum”.
O desenho pode ser feito com cera ou lâmina, mas a segunda opção não é muito procurada, pois o pêlo cresce muito rápido. Para colorir, é aplicada uma tintura íntima especial, que desbota com algumas lavagens. “Casos de alergia são bem raros, só acontecem quando a pele é extremamente sensível” – explica Valquíria.
Mas a criatividade na área não pára por aí. A esteticista Patrícia Evelyn, do salão de beleza Spa Urbano, faz pintura definitiva nos pêlos pubianos e colocação de strass para ocasiões especiais. “Primeiro descolorimos os pêlos com muito cuidado, protegendo bem a vagina do produto. Depois aplicamos uma tintura íntima, que pode ser vermelha, azul, ou até loirinha!” – explica Patrícia, que também efetua a depilação artística.
A aplicação de strass é feita com uma cola especial, a mesma utilizada nos cílios postiços. “Mas o strass sai bem rapidinho. Se sobrar algum é porque a coisa não foi muito boa!” - brinca a esteticista. Lembrando que em nenhum dos casos a pintura dos pêlos é feita nos lábios da vagina, ela só pode ser aplicada na parte cima.
Sexy ou extravagante? A empresária M. C. L., de 50 anos, é adepta à depilação artística. Sempre que surge uma ocasião especial, ela não hesita! “Uma vez, quando meu namorado ia chegar de viagem, fiz um coração vermelho cheio de strass. Ele ficou surpreso quando viu, achou bonito e tal... Só que não teve coragem de ir adiante com todo aquele brilho e pediu que eu lavasse!” – conta a empresária. Ela diz que o namorado prefere mudanças mais sutis: “Ele adora quando a deixo toda ruivinha!”.
O estudante José Guilherme, 22, já foi homenageado por meio da depilação artística. A namorada dele fez a letra G na expectativa de surpreendê-lo. “Não pude me segurar e caí na risada!” – revela Guilherme. “Eu entendo que ela fez na tentativa de me agradar, mas era algo tão inusitado, tão curioso... Tão engraçado!” – conta o estudante, que teve o namoro rompido meses depois.
Mas certamente a depilação artística não deve causar estranheza a todos os homens. A esteticista Patrícia Evelyn garante que a procura pela nova técnica cresce a cada dia. “Cada vez mais clientes vêm experimentar. E muitas voltam para repetir a dose!” – conta.
Se você decidir ousar com a depilação artística, certifique-se de que o estabelecimento utiliza tintura especial. Se julgar necessário, faça a prova do toque.
Delas - Portal IG
Eu sou da época da depilação com os seguintes estilos: Ultimo dos Moicanos, Hitler, Paralelo 17, Black Power, Fidel Castro, Charlie Chan, Kojak, entre outros.
Mas gostei da idéia.

Spa Brasil 2, participa que eu pago.

Rosinha mais fininha

Para dar força ao marido, governadora perdeu 6 kg em dieta radical. Já Garotinho emagreceu 11 kg

Rio - A governadora Rosinha decidiu seguir os passos do marido, o ex-governador Anthony Garotinho, e reduziu sua silhueta à base de dieta rigorosa. O esforço conjunto deu resultado: Rosinha perdeu cerca de seis quilos desde meados de janeiro, quando o casal se internou por quatro dias num spa no Espírito Santo, por vontade de Garotinho. Ele decidiu emagrecer para enfrentar a reta final da acirrada disputa interna no PMDB pela vaga de candidato à Presidência da República pelo partido. O ex-governador já perdeu 11 kg, segundo assessores.
O casal segue a "Dieta das 600 calorias". Rosinha, segundo o Palácio Guanabara, aderiu à guerra contra a balança para estimular o marido. Desde então, ela só come grelhados e saladas, numa tentativa de reeducação alimentar. Somados, os valores calóricos dos alimentos consumidos por dia não passam de 600 calorias. Rosinha não fala sobre o assunto.
A nutricionista Andréa Vieira, do Instituto Nacional de Cardiologia Laranjeiras, no Rio, alerta, porém, que o consumo diário de apenas 600 calorias não pode ser feito sem acompanhamento médico. "É uma dieta muito radical", afirma ela. No instituto, segundo a nutricionista, as dietas reduzem o consumo para até 1.200 calorias.
Método não deve ser usado por muito tempo
Andréa explica que, em média, uma pessoa precisa consumir duas mil calorias por dia. "O ideal é mudar os hábitos alimentares e fazer exercícios", diz. A nutricionista alerta ainda que a dieta de 600 calorias não deve ser feita por muito tempo. "Pode provocar complicações sérias, como hipoglicemia (baixa do açúcar)".
Problemas com a balança sempre preocuparam a governadora. Rosinha já fez a dieta de proteína durante toda a campanha de 2002. Posteriormente, no entanto, ela teve de suspender por recomendação médica.
Até Lula descobriu que afinar a silhueta melhora a imagem
Perder peso faz parte das recomendações dos marqueteiros aos políticos com tendência à obesidade, para melhorar a imagem na corrida pelos votos. Depois do bombardeio de denúncias contra o PT, o presidente Lula foi um que aderiu à medida. Ele está há mais de dois meses em dieta. O presidente emagreceu 11 quilos controlando as proteínas. Ele quer perder mais 3 quilos. Coincidentemente, neste período, seu índice de aprovação nas pesquisas melhorou. O petista voltou a aparecer na frente de seus adversários.
A dieta utilizada pelo casal Garotinho virou moda entre socialites e artistas. A bilionária Athina Onassis, que se casou com o cavaleiro brasileiro Álvaro Afonso de Miranda Neto, o Doda, em dezembro, é adepta e perdeu 9 kg. O diretor global Marcos Paulo e o roqueiro João Gordo, da MTV, também já aderiram.


Não seria mais fácil dar um cartão Fome Zero e mandar correr atrás de emprego toda essa cambada? Tenho a certeza de que a matemática do emagrecimento funcionaria.
Como somos nós que pagamos, vale perder alguns quilinhos agora porque terá muitos almoços e jantares na época da campanha e precisam estar em forma. Se pesasse no bolso deles seria diferente, mais somos nós que pagamos...
Prá refazer o País só trocando todo mundo, portanto comece a pensar no seu voto.

25 de fevereiro de 2006

População da terra atingiu, neste sábado, a marca de 6,5 bilhões

"RIO - Nasceu, neste sábado, o cidadão de número 6.500.000.000 no mundo. A marca histórica foi registrada pelo censo dos Estados Unidos. De acordo com o censo, 41 pessoas nascem a cada 10 segundos. No mesmo intervalo de tempo, outras 18 morrem. Assim, a cada minuto que passa, a população mundial ganha 138 pessoas."
O Globo online
O Brasil tem tudo para ser o celeiro do mundo. Exportamos produtos essencialmente ligados à alimentação, liderando em quantidade.
Temos todas as condições para assumir a logística de abastecimento de uma das poucas coisas que são fundamentais para a vida. A alimentação.
Interessante é que somos mais notícias de forma atabalhoada em outro item essencial. O sexo.

Um jogo emocionante, decidido nos detalhes...

Juan entrou e fez um golaço empatando o jogo, depois ajudou na vitória.


Saramar, o aplauso é para você.

Carnaval gastronômico, quem se habilita?











Costelas de Boi, Vitela e Cordeiro ao bafo...

Caldinho de Piranha, Peixes...

Carne de Sol

E o chopp, of course.

Quem se habilita a me acompanhar?



Conheçam mais em Zinho Bier

24 de fevereiro de 2006

Bota e Fla colocam bloco na rua neste sábado de carnaval

Times se enfrentam no Maracanã, para passarem carnaval em paz
LANCEPRESS!

Botafogo e Flamengo se enfrentarão no Maracanã, neste sábado de carnaval, às 16h, em busca da nota dez na Taça Rio, que seria a classificação para a final. Para isso, cada equipe usará da melhor forma o conjunto que possui. Pelo lado rubro-negro, o técnico Valdir Espinosa está ameaçado de perder o lugar na comissão, não a de frente, mas sim a técnica, caso o time não vença.
O Flamengo conquistou apenas uma vitória na competição, mesmo assim, contra o Americano, quando não valia mais nada para o time campista, já classificado para a seminifal da Taça GB.
Para chegar à vitória, o time pode não ter um de seus principais destaques, o atacante El Tigre, que, juntamente com Luizão, forma uma dupla tão importante para o time quanto a de mestre-sala e porta-bandeira para uma escola de samba. O paraguaio tem uma contratura na coxa direita e não tem presença certa na partida.
Na zaga, o xerife Fernando, responsável pela harmonia da defesa, também está fora. O zagueiro tem uma lesão na coxa esquerda e será substituído por Ronaldo Angelim. O novo titular disse que não há favoritos no desfile, ou melhor, no jogo.
- Contra o Botafogo, espero que joguemos melhor e não aconteçam gols bobos, como nas últimas partidas. Mas clássico não tem favorito - repetiu a frase, mais famosa do que qualquer samba-enredo.
O meia Diego Souza, novo titular do meio-de-campo flamenguista, espécie de coração do time, assim como a bateria, acredita que tudo pode mudar, caso o Flamengo vença o clássico.
- Temos que manter a tranqüilidade. Se vencermos, tudo mudará - afirmou Diego.
Já no Botafogo, o clima é de desfile das campeãs. Vencedor da Taça Guanabara, classificado para a segunda fase da Copa do Brasil e há cinco jogos invicto, o Fogão pega o Flamengo em clima de tranqüilidade.
A boa fase do Alvinegro está sendo bastante comemorada por todos no clube. A goleada sobre o Operário-MS por 5 a 1 pela Copa do Brasil, após o frustrante empate com o Nova Iguaçu por 1 a 1, trouxe a motivação necessária para o time no clássico contra o Rubro-Negro.
Lucio Flavio e Zé Roberto, dois dos principais destaques da agremiação botafoguense, estão vivendo ótima fase. O atacante Dodô, assim como uma madrinha de bateria, vive um momento de admiração unânime no clube.
No grupo de acesso do São Caetano em 2005, Lucio Flavio foi a grande aposta do presidente Bebeto de Freitas para esta temporada. Até então, o camisa 7 do Botafogo vem correspondendo, até mesmo com gols, fato incomum na sua carreira. Contra o Operário-MS ele marcou duas vezes e no ano já tem seis e é o artilheiro do Alvinegro.
- Desde que cheguei, tenho me sentido bem. Vínhamos conversando para trabalhar aqui e nunca dava certo, mas Deus escolheu esse momento que está especial em minha vida. Não estou aqui para ser o principal jogador e nem para ser ídolo. Estou aqui porque o Botafogo precisa de um time vencedor e a torcida precisa disso - destacou Lucio Flavio.
Sem Thiago Xavier, suspenso, o técnico Carlos Roberto deverá escalar o polivalente Joílson, fazendo a contenção a zaga com Diguinho. Ruy, ainda com dores no tornozelo esquerdo, está praticamente fora. Com isso, Neném, que ainda não justificou sua contratação, terá mais uma chance.
Resta agora, saber quem será a torcida que sambará por último na Avenida Maracanã, apoteose do futebol brasileiro.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO X BOTAFOGO
LOCAL: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
DATA-HORA: 25/2/06 - 16h
ÁRBITRO: Gutemberg de Paula Fonseca
AUXILIARES: Wagner de Almeida Santos e João Luiz Magalhães
BOTAFOGO: Lopes; Neném, Rafael Marques, Scheidt e Bill; Diguinho, Joílson, Zé Roberto e Lucio Flavio; Reinaldo e Dodô.Técnico: Carlos Roberto
FLAMENGO: Diego; Léo Moura, Ronaldo Angelim, Renato Silva e Juan; Jônatas, Diego Souza, Renato e Fellype Gabriel (Rodrigo Arroz) ; Ramírez (Fellype Gabriel) e Luizão.Técnico: Valdir Espinosa

Uma boa...

24/02/2006 01:58
Internet discada sem limite de horários já é possível

Usuário de internet por linha discada já pode ficar conectado 24 horas por dia sem pagar os pulsos telefônicos, mediante assinatura no valor de R$ 29,90 mensais. Veja como proceder.
Por Paulo Rebêlo, com Folha de Pernambuco.

A exemplo do que ocorre em outras regiões do Brasil, finalmente a área coberta pela Telemar entra na rota do acesso discado à internet sem limite de horários. O plano “Internet sem limites” está ativado, permitindo ao usuário conectar em qualquer hora do dia sem pagar os pulsos telefônicos. Por R$ 29,90 mensais, você usa a mesma linha telefônica e modem, pode ficar até 24 horas online, qualquer dia da semana, sem esperar feriado ou aguardar até o relógio marcar meia-noite.
Com o “Internet sem limites”, os pulsos telefônicos não são contabilizados na conta do cliente. O plano é oferecido por meio de um 0800 geral da empresa, pelo qual o cliente pode solicitar instalação de Velox (banda larga), nova linha, reparos e outros serviços agregados. De acordo com as informações repassadas pelos atendentes da Telemar, qualquer um dos funcionários do atendimento desse plano está habilitado a cadastrar a linha do usuário.
Com a linha cadastrada, em menos de uma hora você já pode se conectar à internet sem limite de pulsos. Entretanto, vale realçar que há uma condição: o provedor de acesso precisa ser da Rede Telemar, ou seja, o número de conexão tem que começar pelo prefixo 1500. São vários: UOL, iG, Terra, iBest etc. Outros provedores, fora da rede, vão continuar somando os pulsos. “O sistema da gente identifica quando o provedor é da nossa rede, cujo prefixo é 1500, e deixa de contar os pulsos na casa do cliente,” explica o discurso padronizado do atendimento Telemar.
Para o administrador de empresas João Batista de Lima, o serviço é o único jeito de voltar a usar internet sem preocupações. “Meu filho faz faculdade de computação e não pode pesquisar ou estudar em casa como deveria, por causa da conta. Nos cadastramos logo e já estamos usufruindo. Afinal, aqui onde moramos não há opção de banda larga”, lamenta Lima, residente de Abreu e Lima, em Pernambuco.

Serviço
Internet Sem Limites
0800-31-0001
www.telemar.com.br


Sem velocidade, mas com acesso
Apesar do exponencial crescimento da internet em alta velocidade (banda larga) no Brasil, o acesso via linha discada ainda persiste na maioria dos lares brasileiros. Serviços de conexão rápida são mais caros e, o principal, não atendem toda as cidades ou todos os bairros.

Serviço não foi divulgado para internautas
Procurada pela Folha de Pernambuco durante as duas últimas semanas, a Telemar não soube informar o motivo de não revelar aos clientes e não divulgar a oferta de internet discada sem limite de tempo na conexão.
Na semana passada, a empresa desmentiu, oficialmente, a informação de que iria lançar o plano de internet sem cobrança de pulsos – enquanto, na verdade, o “Internet sem limites” já estava sendo oferecido a qualquer um que perguntasse no 0800 e, posteriormente, com uma chamada no site da empresa.

Provedores para o “Internet sem limites”
- Universo Online (UOL)
- Oi Internet
- Uái
- iG
- iBes
t- Terra
- BOL
- iTelefonica
- America Online (AOL) [Webinsider]

Eurico, não faz com que o Baixinho pague mico...

24/02/2006 - 14h02m
Amistoso do Vasco com time master vira chacota no exterior
Globoesporte.com

RIO - A programação de um amistoso contra um time de veteranos alemães, em São Januário, virou motivo de chacota na imprensa internacional.
A partida seria mais uma do Projeto Romário, para ajudar o Baixinho a chegar aos mil gols, mas acabou virando apenas um jogo-treino. O craque se recusou a entrar em campo. O supervisor Nilson Gonçalves assumiu a culpa.
Em Portugal, o jornal Record destacou: "O clube carioca foi longe de mais: marcou um particular com uma equipa alemã desconhecida. Estavam os jogadores já equipados e os árbitros prontos, quando os germânicos entraram em campo: entre carecas e barrigudos, nenhum tinha menos de 35 anos".
O As, da Espanha, publicou que "Os jogadores do LTS Bremerhaven reluziam carecas mais pronunciadas que a de Romário e barrigas pouco comuns entre futebolistas". Também na Espanha, a agência EFE disse que "Romário chegou a entrar no gramado, mas quando viu os rivais, deu meia volta e regressou aos vestiários".
O site da ESPN em espanhol afirmou ainda que "Romário se negou a aumentar sua conta contra um time de quarentões e cinqüentões".

Que Deus nos proteja!

Um homem de 34 anos foi condenado a até três anos de prisão por ter espancado até a morte um gato de 9 semanas, conta na edição desta sexta-feira o jornal 'Chicago Tribune'. O caso aconteceu na cidade de DesPlaines, no Norte dos EUA.
Os jurados consideraram William Buske culpado de grave crueldade contra um animal. A pena definitiva será determinada nos próximos dias.
De acordo com a acusação, Buske ficou irado ao ver o felino na entrada de sua residência móvel, em Oasis Mobile Home Park. Ele então pegou o animal, jogou-o no chão e o matou com pontapés.
Fonte: Globo Online
A intolerância, a barbárie, a covardia...
Por onde anda o amor? Por onde anda a valorização da vida?
Os ensinamentos para uma pacífica e construtiva convivência estão esquecidos, cada dia podemos ver que Deus está sendo abandonado pelos seus filhos. Respeito todas as crenças e até quem não tem fé mas não podemos aceitar atos irresponsáveis, matar por matar.
Até os ditos irracionais não seriam capazes de um gesto tão absurdo.
Me preocupa a decisão do Judiciário....

23 de fevereiro de 2006

Questionando Deus

"O que está acontecendo, não estou conseguindo andar sobre a água?"

O Ministro deveria cantar "o Haiti é aqui" para aterrisar seu chefe

Tráfico expulsa família Bando do Morro do Chapadão obriga 20 parentes de líder comunitário a sair de três apartamentos
Leslie Leitão

Rio - Ameaçados por traficantes do Morro do Chapadão, parentes do presidente da Associação de Moradores do Condomínio Village Pavuna, Luiz Carlos do Nascimento, 52 anos, abandonaram seus imóveis. São quase 20 pessoas que viviam em três apartamentos do conjunto e agora tiveram que fugir. A polícia e a família do líder comunitário acreditam que ele foi morto por bandidos da favela no sábado à noite.
O alvo principal das ameaças, segundo vizinhos, seria um dos genros de Luiz Carlos, que é soldado da PM. Procurado pelo DIA, ele preferiu não comentar o caso, tentando preservar a família. No Village, parentes foram obrigados a fazer um grande mutirão para que todos saíssem às pressas do local.
“Traficantes telefonaram ameaçando matar todo mundo”, contou um amigo da família, que pediu para não se identificar.
A revolta dos bandidos, segundo moradores, foi com a atitude do genro que, na noite de sábado, teria pedido ajuda a policiais para resgatar o sogro após saber que ele estava em poder dos traficantes. Mas a invasão não chegou a acontecer.
Polícia identifica quatro acusados de execução
Luiz Carlos Nascimento não vinha atendendo às imposições do líder do tráfico do Chapadão, Binho Angolano. Convocado para uma reunião com o bandido, ele foi até a favela, onde teria sido morto pelo criminoso e três comparsas identificados por agentes da 39ª DP (Pavuna) como J.J., Da Roça e Dequinho.
A morte do líder comunitário só vai ser confirmada após o resultado do exame de DNA, já que seu suposto corpo foi encontrado carbonizado no dia seguinte, dentro de um Gol. Ontem, as três filhas cederam material genético para o teste.
Copiado de O Dia
"— Não fiz tudo o que ainda precisava fazer mas, certamente, já fizemos muito mais do que uma elite que governou este país durante quase 500 anos e esqueceu a parte pobre da população. Vamos continuar trabalhando. "
Declaração do Presidente em solenidade pública ontem, no Maranhão

Aroeira

Tubarão em Grumari

Pescadores têm trabalho, mas fisgam mangona de 2,20 m e 120 kg
Rio - Pescadores capturaram na manhã de quarta-feira tubarão de 2,20 metros na Praia de Grumari. Eles estavam a cerca de 350 metros da arrebentação quando o peixe, da espécie mangona, se enroscou na rede de pesca.
“Ele tentou nos atacar e deu três mordidas na embarcação. Se nos faltasse experiência, o tubarão poderia ter virado o barco”, relatou o pescador Fábio Roberto Ribeiro da Silva, 36 anos. Com a ajuda de outro barco, fisgaram o animal e o levaram à areia, atraindo banhistas.
O biólogo marinho e diretor do Instituto Ecológico Aqualung, Marcelo Szpilman, disse que é normal aparecerem tubarões na praia. “Tubarão é um peixe como outro qualquer. O Recreio e Grumari são locais onde se pesca muito tubarão desde o século passado”, disse o especialista. “Mas a mangona é espécie ameaçada de extinção. É difícil de aparecer no Sul e no Sudeste. A pesca deveria ser proibida”, ressaltou.
Os pescadores pretendem vender parte da carne do animal, que pesa 120 quilos. A mangona, segundo Szpilman, é a mais saborosa entre os cações. “Os restaurantes compram a R$ 10 o quilo. Mas vamos fazer uma moqueca com o resto para comer com os amigos”, disse Fábio.
Apesar de tubarões nadarem próximo à arrebentação com freqüência, os banhistas não devem se apavorar. Segundo o biólogo, eles se afastam com a movimentação de pessoas na água. “São os tubarões que têm medo dos seres humanos. Não há registro de ataque no Rio há 50 anos”, tranqüilizou.
Só para lembrar que a Praia do Abricó fica entre a Prainha e Grumari e é a praia de nudismo oficial do Rio.

Essa foi de lascar.....

"...Empolgado por estar se apresentando no Maracanã, o Operário-MS começou a partida a todo vapor. O Botafogo mal havia tocado na bola e já tinha que pegá-la em sua rede, aos dois minutos. O apoiador Tiago, jogador mais perigoso do visitante, cobrou falta da intermediária e a bola, antes de entrar, desviou na barreira, enganando o goleiro Lopes...."





Eu estava no Maracanã e não foi de falta o gol.
O atacante Tiago do Operário recebeu de frente e na entrda da área uma bola rolada da lateral, ajeitou e chutou. Houve o desvio no lateral do Botafogo enganado o goleiro Lopes.
Nada de falta na intermediária como descreve o jornal.
E agora? Como fica a credibilidade se até descrição de lance de jogo de futebol é deturpado?

22 de fevereiro de 2006

Ô urubú, pode esperar, a sua hora vai chegar!



Botafogo 5 X 1 Operário MS

Deve ser uma piada... se não for, favor desenharem prá mim.

21/02/2006 - 16h08m

Ministério de Minas e Energia estima aumento do preço da gasolina
Mônica Tavares - O Globo
Eliane Oliveira - O Globo
Vladimir Goitia - Especial para O Globo


BRASÍLIA e SÃO PAULO - O preço da gasolina nas bombas poderá subir entre 1% e 2% devido à redução do álcool em sua mistura, de 25% para 20%. A estimativa é do ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau. Ao ser perguntado se haveria impacto no preço da gasolina na bomba, para o consumidor o ministro afirmou:
- A gasolina não aumentará, o que aumentará é a mistura final, que pode ter um reflexo na proporção direta de 25% para 20%. Em alguns estados é indiferente, por causa da tributação do ICMS, (o aumento) é alguma coisa em torno de 1% a 2%, dependendo do caso - disse.

21 de fevereiro de 2006

Andando na linha do trem...

A Grã-Bretanha foi eleita a nação favorita no mundo, embora os britânicos tenham sido considerados 'os mais chatos', segundo uma pesquisa divulgada hoje.
A pesquisa da empresa de marketing GMI e do especialista Simon Anholt foi feita com 25.907 pessoas de 35 países e concluiu que o país é o preferido por sua cultura, sua população e seu potencial turístico. Levou em conta também a popularidade do país como lugar pra investir ou emigrar.
Os britânicos foram considerados os mais educados e corteses do mundo, embora também os mais chatos.
Fonte: Globo Online
Nós gostamos é da improvisação, do bom humor e da convivência pacífica, todos se relacionando e deixando a vida levar...

Traição ou deliberação?

21/02/2006 - 17h33m
Internet discada ficará muito mais cara a partir de março, reforçando a banda larga
O Globo e Globo Online

BRASÍLIA e RIO - A partir de 1 de março, as empresas de telefonia começarão a implantar o sistema de minutos para medir as ligações telefônicas. Elas têm até o fim de julho para estar com o sistema em funcionamento. Em agosto, conforme determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), essa nova modalidade será obrigatória. A medida vai encarecer a conexão discada à internet, pois qualquer tempo de ligação acima de quatro minutos ficará mais caro. (A diferença entre o sistema de pulsos e o de minutos)
O colunista Elio Gaspari calcula que um cidadão que trabalha meia hora por dia ligado à internet paga hoje R$ 30 mensais. Ele passará a pagar R$ 75, quase o mesmo cobrado por uma assinatura de banda larga, que dá acesso ilimitado à rede. Pelos cáculos do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), ligações de meia hora poderão ficar 149,15% mais caras.
O presidente da Associação Brasileira de Provedores de Internet, Antonio Tavares, diz que com a mudança para o sistema de minutos pode haver uma migração de usuários de internet discada para a banda larga. No entanto, ele ressalva que o consumidor será punido de qualquer forma com contas mais caras.
Nem todo mundo poderá comprometer o orçamento com uma assinatura de banda larga. Além disso, lembra Elio Gaspari, 30% dos terminais telefônicos estão em lugares onde não existe o serviço de banda larga. Mais da metade do mapa do Brasil (2.400 municípios) está fora do mapa de acesso a esse tipo de conexão.

A Telefônica e a Telemar já oferecem pacotes - válidos atualmente para o sistema de pulsos - em que o cliente paga R$ 29,90 fixos por mês e usa a internet discada por tempo ilimitado. A esse valor se somam os preços das assinaturas (R$ 41,26 na Telemar e R$ 38,13 na Telefônica para clientes residenciais) e os pulsos excedidos em ligações de voz.

Ao contrário do que havia sido divulgado anteriormente pelo Globo e pelo GLOBO ONLINE, o sistema de tarifas reduzidas continuará valendo. Os usuários de telefone e internet discada pagarão (ou descontarão da franquia) o equivalente a dois minutos, ou R$ 0,20324. Com esse valor, poderão usar a linha por tempo indeterminado dentro do período de tarifa reduzida: entre meia-noite e 6h no dias úteis; nos sábados, entre 14h e 24h; e, aos domingos e feriados nacionais, o dia todo.

Desde 2002, a base de brasileiros que acessam a web rápida em casa aumentou 400% - de 1,5 milhão em junho de 2002 para 7,5 milhões em dezembro de 2005, segundo dados do Ibope//NetRatings. Em um ano, de 2004 para 2005, o crescimento foi de 41,5%.

Enquanto as conexões discadas vão ficando mais caras, a banda larga vem crescendo rapidamente também por causa das tarifas. Os provedores, como a NET Virtua, estão oferecendo cada vez mais promoções, com variadas opções de velocidade de conexão.

Daniela Trettel, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), critica a alta das tarifas da conexão discada e observa que o chamado telefone social - Acesso Individual Classe Especial (Aice) - criado e aprovado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), deveria suprir uma lacuna na privatização, que foi a não-universalização do uso da telefonia.

- O Aice não tem nada de social. Possui a assinatura básica sem franquia, ou seja, o consumidor paga desde a primeira ligação e, além disso, ainda pagará uma taxa de atendimento. E como, pela proposta, não há horário reduzido, a internet discada ficará caríssima.

Daniela afirma que o Idec avaliou os dados da conversão e concluiu que o consumidor pagará mais barato pela ligação local apenas se esta durar um minuto. Caso a duração seja de dois ou três minutos, o consumidor poderá pagar mais caro ou mais barato, dependendo se o pulso for contado a partir do primeiro minuto (um pulso tem quatro minutos):

- Mas, a partir de quatro minutos, a ligação fica, com certeza, mais cara, sendo que a diferença entre o que é gasto hoje e o que pode ser gasto no futuro em uma ligação de uma hora de duração superaria 165%.

Fátima Lemos, técnica do Procon de São Paulo, ressalta que a conversão para minutos permitirá que o consumidor tenha informações mais claras e precisas, mas não é possível aceitar que haja um aumento no valor a ser pago:

- Como haverá inclusão digital da classe de baixa renda se, com o Aice ou com o telefone normal, a internet discada ficará mais cara?


O 'ético' e seu discurso de inclusão digital permitiu que as Novadatas, Telemares e Bancos se dessem bem, que se danem os de menor poder aquisitivo que se endividaram acreditando...
Cadê a oposição? Vai perder mais uma vez o bonde da história ou também está conivente com a situação?
Será que a Justiça prevalecerá e permitirá que os lesados possam ter seu dinheiro de volta, sem que isso implique em maior carga de impostos e com a responsabilidade civil e penal de quem autorizou e divulgou?

18 de fevereiro de 2006

15 de fevereiro de 2006

O responsável é um irresponsável.

"Para Itagiba, Copacabana não é local ideal para show dos Stones

RIO - O secretário de Segurança Pública do Rio, Marcelo Itagiba, afirmou agora há pouco, durante a divulgação do esquema de policiamento do show dos Rolling Stones, que não considera a praia de Copacabana o local mais apropriado para que seja realizada a apresentação da banda.
O público esperado para a apresentação da banda que acontece nesse sábado é de mais de um milhão de pessoas. Ainda se acordo com a secretaria, 2.050 policiais militares trabalharão na orla de Copacabana para garantir a segurança no local."
JB online

A autoridade responsável pela Segurança Pública dá uma declaração que parece de quem quer tirar o corpo fora se der algum problema.

Porque permitiu que o local fosse aprovado?

Não é dele a posição técnica que permitirá a autorização do show?


14 de fevereiro de 2006

Prático e inovador


A quem interessar é só acessar http://www.thumbthing.com/index_e.htm
e pedir, na medida do seu dedo.

Você já confirmou o seu?

Manias... me escalaram

A Elaine (www.awanene.com) e o Cotrim (www.azimuth.zip.net) me convidaram a registrar algumas das minhas manias. Vamos lá:

1 - Botafogo. Quem viu Garrincha jogar, como eu vi aos 8 anos de idade, não teve dúvidas em ser feliz. Aos 9 vi no Maracanã ele estraçalhar o Flamengo e até pouco tempo tinha a foto em que foi montado o rosto do Garrincha nos outros dez jogadores.

2 - Bater papo despretensiosamente. Quem conhece o meu blog sabe que procuro postar notas copiando ou comentando assuntos diversos, inusitados ou não. Acredito que devemos resgatar o bom humor, mesmo que tenhamos uma consciencia crítica. Por isso é que passo diariamente nos blogs recomendados, eles tratam de assuntos variados.

3 - Atualização cultural. Tenho filhos e vida profissional que vivem em constante evolução. Desde criança que sou um curioso, preocupado em entender como as coisas se processam. Sempre acreditando que existe uma melhor forma de se fazer.

4 - Paulinho da Viola. Tenho que escutá-lo diariamente e os meus filhos é que reclamam. Resolvi dando um Player de MP3 para cada e conseguindo que parassem de encher o saco pedindo para mudar o CD no carro.

5 - O Rio de Janeiro. Apesar de ter morado em Brasilia, Recife, Belém e Porto Velho nunca consegui deixar de exercer minha naturalidade e vir ao Rio todo ano e agora morando de vez.

Genéricas? Claro. Quem sabe um dia, num boteco, eu abra algumas mais específicas.
Uma abraço nos amigos que me intimaram.

13 de fevereiro de 2006

Um presente... para o Botafogo e seus torcedores!


O INCRÍVEL CAMPEÃO
Para Luiz Carlos Marques
Não foi um grande jogo. Com isenção foi um joguinho. Mas quem se importa com isto? Quem se importa se os gols não surgiram de boas jogadas? Se, plasticamente, a beleza esteve mais restrita ao contraste das torcidas que à qualidade do futebol no campo? Se, nem de longe, lembrou uma sombra dos grandes clássicos do passado entre Botafogo e América? Quem quer saber disto? A quem interessa uma comparação tão distante do que houve neste domingo?E o que se viu, no primeiro tempo, foi o América com o jogo dominado graças a um gol surgido do mero acaso e do puro oportunismo no primeiro, e isolado, chute a gol. Se o América é um time melhor, se tivesse mais garra, um matador, diante do Botafogo completamente desorientado em campo, teria ficado com a taça. Se....O Botafogo, porém é um time único. Um time glorioso, lendário, herdeiro de um gênio de pernas tortas chamado Garrincha, do notável Didi, da enciclopédia Newton Santos, de Jairzinho, Quarentinha, Gerson, Manga & tantos outros. Tudo é possível ao Botafogo. Já venceu campeonatos impossíveis. Já ganhou partidas, contra grandes times, com times medíocres. Até parecia que as camisas incorporavam os craques do passado como se movidos por deuses invisíveis. Até uns boleiros inacreditáveis já fizeram gols impossíveis para o Botafogo ser campeão.E não foi diferente neste domingo. Um zagueiro, Scheidt, no único lance perfeito da partida, embora o goleiro do América tenha errado, lembrou o esplendor dos craques do passado e surgindo do nada fez um gol. Apenas este lance, apenas este, estilhaçou uma partida que estava plasmada de vermelho. O América, que também não é um time bom, sumiu. E mesmo o Botafogo apático, burocrático, ineficiente, com Dodô e Reinaldo batendo cabeças, ressurgiu glorioso das cinzas conseguiu fazer mais dois gols e a torcida explodir no grito de “É campeão! É campeão!”.Que há de restar desta partida ? A taça, a alegria da virada, os gols que mexeram com a emoção da torcida, o alívio, depois de tanta angústia, a alegria de ser campeão. Só restará o fato de o Botafogo reafirmar sua vocação para a glória, ainda quando não consegue juntar algo que se pareça com um time, que lembre seus áureos tempos de saudosa memória. Isto, no entanto é problema de quem analisa. Para o torcedor é choro de quem não pode, igual a ele, gritar “é campeão”. Um campeão, realmente, inacreditável. Nada disto importa. No futebol, como na vida, o que vale é o resultado. E o resultado é que o Botafogo é campeão. E o Manequinho cheio de entusiasmo faz, contente, xixi com a faixa e a taça para inveja e desespero das outras torcidas.
Silvio Persivo mais uma vez nos brinda com um texto magnifíco.
Para os que o conhecem, não é novidade. Quem quiser conhecê-lo, os links estão ao lado.
Valeu, te devo uma Cerpinha.

12 de fevereiro de 2006

É CAMPEÃO!


Rio - O Botafogo pôs fim neste domingo a um jejum de nove anos sem título e faturou a Taça Guanabara em uma final eletrizante contra o América. A vitória de 3 a 1 dá ao Alvinegro a quarta conquista da Taça GB (ganhou também em 1967, 1968 e 1997). Os gols da vitória foram marcados por Scheidt, Dodô e Zé Roberto. Robert descontou.

Tim, tim!!!!

11 de fevereiro de 2006

Tapoé

Há quem morra de rir – e não se pode negar a graça do achado – mas eu prefiro louvar a criatividade dessa adaptação brasileira da palavra Tupperware. Marca registrada que se tornou o nome genérico daquelas vasilhas de plástico com tampa vedante, tupperware, convenhamos, é um tremendo quebra-língua para falantes de português. “Tapoé” pode ou não ter em sua origem uma dose de ignorância e ingenuidade – a questão exigiria uma investigação mais profunda. O certo é que é uma solução lingüisticamente mais sofisticada do que aquela outra – tapeware – em que acabam incorrendo tantos falantes educados.
Fonte: Nominimo
Não podemos realmente em deixar de rir mas vamos lembrar de 'gringo', 'forró', 'abajur', 'madepolão' e muito mais que foi brilhantemente incorporado à nossa lingua.

Zé Carioca (José do Patrocínio Oliveira)

Multiinstrumentista (violão, cavaquinho, banjo).
Paulista de Jundiaí, nesceu no dia 11 de fevereiro de 1904 e começou a tocar cavaquinho como amador. Foi funcionário do Instituto Butantã de São Paulo, até ser convidado para tocar num programa que inaugurou a Rádio Educadora Paulista, em 1929. Fixou residência nos EUA nos anos 1940. Nos últimos anos de vida, alternava seis meses de residência no Brasil (São Paulo), e seis meses em Los Angeles (EUA), onde acabou falecendo aos 83 anos.

Músico brasileiro inspirador do simpático papagaio Zé Carioca, personagem de desenho animado criado por Walt Disney em homenagem ao Brasil. Em 1931, passou a atuar na Orquestra Columbia, dirigida pelo maestro Gaó, apresentando-se na Rádio Cruzeiro do Sul. Nessa época, trocou o cavaquinho pelo banjo, o que lhe valeu o apelido de Zezinho do Banjo. Em 1932, foi para o Rio de Janeiro, por intermédio de César Ladeira, passando a atuar na Rádio Mayrink Veiga. Naquela emissora, trabalhou ao lado de grandes nomes do cenário artístico de então: Garoto, Pixinguinha, Nélson Souto, Britinho, entre outros. César Ladeira, quando passou a ser diretor artístico do Cassino da Urca, o levou para atuar na famosa casa. Foi ali que conheceu Carmen Miranda em 1939. Logo depois, seguiu para os EUA com a Orquestra de Romeu Silva, para atuar no Pavilhão Brasileiro da Feira Mundial que se realizou em Nova York naquele ano. Nos EUA, ainda em 1939, participou do filme "Serenata tropical", de Irving Cummings. Em 1940, apresentou-se no Pavilhão Brasileiro da Feira de São Francisco. Em 1941, assinou contrato com a 20th Century Fox, para atuar, ao lado de Carmen Miranda e do Bando da Lua, em vários filmes: "Uma noite no Rio", de I. Cummings, "Aconteceu em Havana", de Walter Lang, além de outros. Foi nesta época que conheceu Walt Disney, por intermédio de Aloysio de Oliveira, passando a dublar personagens de desenhos animados. O contato com Disney inspirou o produtor americano a criar o personagem Zé Carioca, símbolo do bom malandro brasileiro, que apareceu no filme "Você já foi à Bahia?" A partir de então, Zezinho passou a ser conhecido por este apelido. Permaneceu nos EUA, trabalhando para a Disney Produções e atuando como músico. Nos últimos anos de vida, apresentou-se diversas vezes no Restaurante Marquis Martoni, em Hollywood. Morou por décadas nos E.U.A e por lá se casou, voltando ao Brasil por várias ocasiões, especialmente nos anos 1980, onde se exibiu em alguns programas da Tevê Globo, sob direção de A C. Vannucci.



Cariocas
(Adriana Calcanhoto)
Cariocas são bonitos
Cariocas são bacanas
Cariocas são sacanas
Cariocas são dourados
Cariocas são modernos
Cariocas são espertos
Cariocas são diretos
Cariocas não gostam de dias nublados
Cariocas nascem bambas
Cariocas nascem craques
Cariocas têm sotaque
Cariocas são alegres
Cariocas são atentos
Cariocas são tão sexys
Cariocas são tão claros
Cariocas não gostam de sinal fechado

Taça Guanabara

Taça Guanabara chega ao Rio de Janeiro

Troféu é feito com um vidro especial, imitando a cristal, e está guardado na Ferj
LANCEPRESS!

O troféu que materializa os sonhos de alvinegros e americanos na final deste domingo já está no Rio. A Taça Guanabara chegou sexta-feira de manhã à cidade, e ficará guardada na sede da Federação de Futebol do Rio (Ferj) até a decisão.
A Ferj encomendou a confecção da taça à empresa Troféu de Cristal, de Florianópolis, que fabrica troféus para vários campeonatos pelo país.
Pesando 4,8kg, a Taça Guanabara é feita de um vidro especial, imitando um cristal. Na frente, vê-se a inscrição: Campeão Estadual da Primeira Divisão de Profissionais - 2006. XLII Taça Guanabara, em referência à 42 edição da competição (veja ao lado todos os campeões).
Como não é um troféu transitório, a Taça Guanabara ficará em definitivo com o campeão do primeiro turno do Carioca. A taça da foto ao lado enfeitará para sempre a já lotada sala de troféus de General Severiano ou será a filha temporã dentre as históricas conquistas do time da Rua Campos Sales.
A Ferj vai convidar o veterano radialista Luís Mendes para entregar o troféu ao time vencedor. Botafoguense ilustre, Mendes é remanescente da época em que o América era freqüentador das grandes decisões. De certa forma, portanto, representa os dois lados envolvidos na final deste domingo.
Seja quem for o vencedor, por volta das 18h (ou pouco além disso se houver pênaltis), a Taça Guanabara será erguida por um jogador já acostumado a conquistar títulos: os capitães de Botafogo e América são os experientes Scheidt e Válber.
A Taça Rio, que será entregue ao vencedor do segundo turno, será do mesmo modelo da Taça Guanabara. Além delas, haverá um troféu especial relativo ao centenário do Campeonato Carioca, que ficará com o campeão estadual.
Agora que o objeto mais valioso já chegou, está tudo pronto para a grande festa. É esperar a bola rolar e ver quem volta para casa com o bagageiro um pouco mais pesado.

Ah! O Fogão, nostálgico e vencedor...

Craques em General Severiano
Alemão, Brito, Nilson Dias, Roberto Carlos e Osmar Guarnelli com Bebeto de Freitas

Fonte: Jornal dos Sports

Ah! O Rio, politicamente natureba...

Blocão vai reunir bichos e seus donos em Copacabana

Rio - Está chegando o dia de a bicharada vestir a fantasia e cair no samba. O Blocão - bloco de Carnaval para donos e seus bichos - será realizado neste domingo, na orla de Copacabana. A concentração canina está marcada para as 15h30, em frente ao Posto 6. O evento, em sua quarta edição, é organizado pelo DIA, em parceria com a pet shop Bicho Bacana.
Quitéria Chagas, rainha de bateria da Escola de Samba Império Serrano, será a madrinha do Blocão e levará sua husky siberiano Leexy, de 6 anos, para cair na folia. "Costumo enfeitá-la todos os anos no Carnaval. Para o Blocão, a Leexy ganhará uma produção especial, para arrasar como uma verdadeira rainha canina", brinca a musa.
Antes de levar os bichos para brincar Carnaval, é importante tomar alguns cuidados. "Por causa do calor, a alimentação deverá ser oferecida algumas horas antes de sair de casa. Leve uma garrafinha de água para evitar desidratação. Água de coco também pode ser oferecida", orienta a veterinária Isabella Morand, da Bicho Bacana.
Segundo a veterinária, cães de pêlos brancos ou sem pigmento devem ter a pele protegida com protetor solar es pecífico para animais. "O produto deve ser aplicado principalmente na região do focinho e orelhas, que são mais sensíveis", explica. Outro cuidado fundamental é a vacinação em dia, para evitar a transmissão de zoonoses (doenças transmitidas do animal para o homem), como a raiva e a leptospirose.
E para os animais mais sensíveis é aconselhável o uso de sapatinhos. "Eles evitam queimaduras nos coxins (almofadinhas das patas) devido ao asfalto quente", explica a veterinária.
Fonte: O Dia

Ah! O Rio, de novo...

Que delícia de chuveirinho!
Marcos Pernambuco - Extra

RIO - Se engana quem pensa que o verão de 2006 vai ficar marcado pela poluição das praias - que trouxe as desagradáveis gigogas para estragar a paisagem da orla carioca. Mas a sujeira (da areia e da água) serviu, pelo menos, para pôr em evidência a sensação do período mais quente e charmoso do ano: os chuveirinhos.

Até musas como Adriane Galisteu, Luana Piovani, Cléo Pires e Daniele Winits já se renderam à novidade e foram flagradas esbanjando sensualidade sob os jatos refrescantes de água doce. Beldades anônimas, que freqüentam points como o Coqueirão, os postos 9 e 10, em Ipanema, e o Baixo Bebê, no Leblon, também surfam na nova onda, competindo com as famosas.
Nos dias de mar poluído e agitado, os chuveiros são uma espécie de oásis, atraindo freqüentadores que disputam os espaços ao seu redor:
- Nas férias, vou à praia diariamente, sempre onde tem chuveiro. Como o mar está sujo e de ressaca, nem vou mergulhar. Chego a usar o chuveiro umas seis vezes num só dia - conta a estudante de direito Thatiana Maia, de 18 anos, que escolhe um espaço perto do chuveiro para estender sua canga.

Mas não são só os freqüentadores da praia que comemoram o sucesso da sensação do verão. Donos de barracas na areia contam que os chuveiros atraem clientela e podem aumentar o faturamento em até 80%.
- Tenho a barraca em frente à Rua Maria Quitéria, em Ipanema, há 34 anos. Assim que instalei o chuveirinho, meu movimento dobrou - contou Severino Faustino da Silva, de 57 anos, sócio da esposa Nininha.
Já Regina Célia Alves, de 33 anos, não teve a mesma sorte:
- Minha bomba, que puxa a água, quebrou. Em consequência disso, meu faturamento caiu significativamente. Não vejo a hora de tê-la de volta, para resgatar minha freguesia - conta a comerciante, dona de uma badalada barraca na Praia de Ipanema.

10 de fevereiro de 2006

O Rio, sempre inovador...

Bendita seja

Nem o calor senegalês nem a amiga francesa que reclama de tudo (mas não abandona estes tristes trópicos) foram capazes de acabar com meu bom humor na última segunda-feira, quando, finalmente, conheci a Drinkeria Maldita. Cheguei cedo e me pus a esperar pelos amigos, tendo cigarros e drinques por companhia. Enquanto esperava, pensei no quanto aquele final da Voluntários da Pátria é importante para a memória afetiva de quem descobriu o cinema búlgaro num então jovem Estação Botafogo.
Acho que me lembrei da década de 80 (Estação Botafogo, new wave, Crepúsculo de Cubatão...) por conta do pessoal que vai à Drinkeria, a mesma galera de vinte e poucos anos que freqüenta os outros empreendimentos de Leonardo Feijó (Casa da Matriz, Teatro Odisséia, Casarão Cultural dos Arcos etc). Lembrei-me da muvuca que ficava na calçada diante do cinema, berço de amizades que duram até hoje, e fiquei imaginando como seria bacana se tivéssemos, naquela época, uma opção de bar com drinques legais e comida razoável por ali.
Drinques legais como o Diablo (tequila, suco de limão, club soda e pimenta, a R$ 12), deveras refrescante, com todos os elementos na medida certa. Também provei o Margarita Pink (tequila, suco de maçã, licor de cassis e club soda, também a R$ 12), bonito e gostoso (peça para não botar açúcar), e a caipirinha de kiwi (R$ 8,50). A comida razoável ficou por conta do polvo em conserva (200 gramas a R$ 12) e do hambúrguer de picanha (R$ 8,50), entre outros petiscos a preços igualmente possíveis.
A grande novidade é a possibilidade de inventar seu próprio drinque. Funciona assim: numa cartela, você escolhe a base (ou seja, a bebida), o acompanhamento (sucos, refrigerantes ou energético), os complementos (borda com sal, angostura, azeitona ou cereja), a maneira como será preparado e o copo em que será servido.
Minha amiga reclamou (com razão, diga-se) do motorista de táxi que se aboletou diante do bar com o rádio nas alturas. Depois de uma noite deliciosa, que terminava tarde para uma segunda-feira, eu já não ouvia mais nada. Nem ela, nem o rádio. Bendita seja a Maldita.

Drinkeria Maldita: Rua Voluntários da Pátria 10, Botafogo — 2527-2456. Dom a qui, das 18h às 4h; sex e sáb, das 18h às 5h. C.C: M.
Coluna Pé Limpo, O Globo, jefferson.lessa@oglobo.com.br

O Rio, sempre na frente...

Jornal O Dia - Aroeira

Momento de reflexão, de quem ama.




Temos o péssimo hábito de julgar pelo que acontece no momento, o que foi bom e será também no futuro é desprezado naquela hora.


Saber ouvir. Procurar entender. Saber aceitar as explicações. Criar um clima de comportamentos futuros com entendimento. Continuar a amar com mais força!

As pessoas que nos são próximas querem sempre o nosso bem, mesmo que a maneira que elas queiram seja diferentes da nossa...

Não podemos querer para os outros o que não queremos prá nós!

Temos que ter a serenidade para avaliar situações e procurar nos colocar no lugar das pessoas, só assim conseguiremos acertar as diferenças. E olha que elas fazem parte da vida e do nosso crescimento!

Perdoar é uma atitude bilateral, as duas partes tem que reconhecer que de alguma forma erraram porque de qualquer forma erraram, sim! Reconhecer erros é a única forma de acertos futuros.

A felicidade consiste em olhar e ver que superamos momentos desesperadores e crescemos com as experiências... Somos vitoriosos!

Nosso maior orgulho é saber que soubemos superar crises...

Um filho é o motivo de orgulho do pai e razão de viver da Mãe, ela sempre quer o melhor.

Saber perdoar é entender que o ser humano é falível e que o comportamento posterior é que deve ser levado em consideração...

Não podemos pensar que estamos totalmente certos. Toda e qualquer relação sempre deve considerar as expectativas de duas pessoas... Sempre é boa quando atende às duas expectativas,

A vida às vezes se mostra como um Fogo Selvagem que nos dá força prá que possamos nos superar, perpetuando de forma digna e forte através do crescimento sempre abençoado por Deus. Isso herdamos com orgulho dos nossos Pais e saberemos transmitir aos nossos filhos.

Deus nos abençoa para que possamos viver dentro das nossas expectativas. Não podemos esperar dos outros nada que venha a nos beneficiar materialmente, conseguir os benefícios faz parte do que aprendemos na vida. Tudo o mais é loteria...

9 de fevereiro de 2006

Minha homenagem

:: Quinta-feira, Outubro 02, 2003 ::

Espírito Carioca


Silvio Persivo

* O Rio continua o Rio. Onde o cidadão tem esta lentidão no fazer, esta faina displicente ? Pela manhã, em plena as onze horas, dois braçais de construção lêem o jornal, no quarto andar, sobre a plataforma de cimento. Lembro da Bahia. É. O Rio tem qualquer coisa de baiano. E a Bahia qualquer coisa de carioca. O carioca e o baiano possuem, em doses diferentes, esta preguiça nos atos. Preguiça é um termo pejorativo. Melhor dizendo possuem uma cadência, um ritmo de fazer as coisas. Não é à- toa que o paulista fica maluco com o trânsito e o atendimento carioca.

A hora certa aqui é um eterno equilíbrio entre o que se quer, o que se precisa e o que a Natureza e as pessoas permitem. Há no carioca o instinto inato do lazer, o desejo incoercível de buscar, em todos os momentos, a alegria da vida, o prazer. É ruim, hein! Penso que não. No entanto isto é incompreensível para quem não capta o ritmo essencial desta cidade de São Sebastião. Aqui, ao contrário do que se apregoa, trabalha-se muito. O trabalho, todavia está sempre impregnado da verve, do espírito carioca.
Não se perde nem a ocasião do cafezinho, do chope, da crítica à seleção do Parreira, do comentário sobre a falta de valor do cruzeiro real, de sonhos que envolvem milhões, pois carioca não pensa em vôos baixos.

O autêntico carioca vive o trabalho como o lapso entre os momentos de prazer. Para o trabalhador comum é o espaço entre a praia e o chope. Para o executivo se divide entre o horário da academia, o almoço, a janta, quem sabe o show do Fagner, no Canecão, ou da Ângela Rôrô no JazzMania. Para os mais sofisticados uma ópera no Municipal ou um passeio em Angra dos Reis. Tudo pode ser só uma fantasia deste meu reencontro com o Rio, mas com um fundamento profundo: a vista de dois bons leitores profissionais da construção civil flagrados durante o expediente em repouso. Porém penso que não há engano. Afinal o samba não se popularizou aqui por acaso. Nem por acaso estamos na terra do pagode. O Rio é assim mesmo : uma cidade onde o trabalho alcança seu verdadeiro espaço como um meio de vida. Nunca como um fim em si mesmo.

O Rio continua lindo sim. E quem sabe sabe que seu ritmo provém da alegria de se viver num dos mais belos e melhores lugares do mundo. O resto é propaganda enganosa. E incorporado ao melhor espírito carioca encerro. A praia e um chope me esperam. Vale a pena viver.

Rio 12/08/1993


* Silvio Persivo nasceu em Fortaleza, é professor de economia, escritor e jornalista e mora em Rondônia.

postado por Li Stoducto em 6:12 AM


Para homenagear o meu amigo Silvio Persivo, blog Jornal Diz Persivo que hoje completa um ano e é o culpado do velho Natu estar no ar, garimpei um artigo que enaltece o meu, o nosso Rio.
Vale a pena conhecer os outros blogs do Silvio, ao lado estão os links, o cara é um excelente poeta, tem o prazer de traduzir obras para nós (eu e alguns amigos), monoglotas, e além de tudo um boêmio que todos gostariam de ter como companheiro para um bate-papo ao final da tarde.
Que saudades da sua gargalhada, marca registrada.
Quem sabe ele não nos brinde no domingo com uns escritos sobre a decisão da Taça Guanabara, Botafogo X América? Fica meu pedido qualquer que seja o resultado, desde que o Botafogo Campeão!
Tim, tim...

7 de fevereiro de 2006

Vamos curtir a vida, em grande estilo...


Carsale - O renovado conversível SL AMG será apresentado pela Mercedes-Benz no Salão de Genebra (Suíça), que abre suas portas para o público no dia 2 de março. O modelo esportivo ganhou novos detalhes visuais e melhorias mecânicas. Na versão SL55, o motor 5.5 V8, desenvolvido pela divisão esportiva AMG, vem equipada com um novo turbo compressor, que elevou a potência de 500 cavalos para 517 cv. O propulsor também ganhou torque: são 72,5 kgfm, ante 70,7 kgfm de seu predecessor.
Segundo a Mercedes-Benz, os números permitem ao SL 55 AMG acelerar de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos e atingir velocidade máxima, controlada eletronicamente, de 250 km/h. A versão SL 65 conta com o já conhecido motor 6.0 V12, também da AMG, que rende 612 cavalos e 101,1 kgfm. Ainda de acordo com o fabricante, o modelo precisa de 4,2 segundos para atingir 100 km/h, partindo da imobilidade. A velocidade máxima, também controlada eletronicamente, é de 250 km/h.
Outra inovação implantada na linha SL fica por conta da nova suspensão esportiva, que garante menos movimentos ao chassi, proporcionando melhor dirigibilidade em altas velocidades. Os freios de alta performance desenvolvidos pela AMG também são de última geração. Na parte visual, a linha SL ganhou faróis de neblina contornados por cromo, defletores de ar laterais, detalhes pretos na grade do radiador, rodas de alumínio de 18 polegadas com novo desenho e saídas de escape duplas e cromadas.
A cabine agora conta com elementos de fibra de carbono e insertos de alumínio nos pedais e volantes. Outra novidade fica por conta da inclusão do sistema RACETIMER, espécie de computador de bordo destinado aos consumidores que levam seus carros para circuitos fechados. Nestas condições, o recurso promove leitura da velocidade máxima e da volta mais rápida do carro, entre outras funções. As vendas da linha SL no mercado europeu começam em março. O SL 55 tem preço sugerido de 133.980 euros (R$ 359,4 mil), enquanto o do SL 65 é 206.132 euros (R$ 553 mil).

Satisfaction....

Show de efeitos para os Rolling Stones
Ricardo Albuquerque

Mais de 100 toneladas de som e iluminação capazes de fornecer energia para 500 casas de dois quartos – o equivalente a uma cidade com 20 mil habitantes – serão espalhados ao longo da Praia de Copacabana, formando um corredor de 640 metros em direção à Praia do Leme com 16 torres de som e sete telões. Os organizadores do show e a Secretaria Especial de Eventos da Prefeitura do Rio estimam que cerca de 1,5 milhão de pessoas deva assistir ao espetáculo na Praia de Copacabana e nas pistas da Avenida Atlântica, a partir da Rua Rodolfo Dantas até a Pedra do Leme. Só de caravanas em direção à cidade, a estimativa aponta para a chegada de 100 mil viajantes de outros estados e países latino-americanos.
Os responsáveis pela construção do palco calculam que a infra-estrutura estará pronta já neste domingo, em condições de receber os equipamentos e os cenários, trazidos da Inglaterra especialmente para o evento.
– A altura do palco, de 22 metros, corresponde a um prédio de sete andares – compara Luís Henrique Furtado, arquiteto da Planmusic, responsável pelo projeto.
Antes de os astros dos rock desembarcarem no Rio de Janeiro, uma parafernália de equipamentos chegará à cidade e será levada em 19 carretas do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, na Ilha do Governador, até Copacabana. Por exigência da assessoria dos Stones, os veículos ficarão estacionados atrás do palco, na Avenida Atlântica, a partir da Rua Fernando Mendes. Na bagagem, um dos segredos da banda: a decoração multicolorida do palco em homenagem ao Rio de Janeiro e à América Latina. O maior telão do evento – 12 x 13 metros – ficará de frente para o público e preso a estrutura metálica no fundo do palco (back drop).
– Uma parte da estrutura se deslocará por 60 metros do palco A para o B, para delírio da galera – observa Furtado.
A apresentação do grupo inglês será feita nos dois palcos, interligados por uma estrutura móvel que deslizará sob trilhos especiais trazidos da Inglaterra. Durante meia hora, Mick Jagger, Keith Richards, Ron Wood e Charlie Watts ficarão próximos ao público, a menos de dez metros de distância. Nas áreas vips – ambas localizadas nas laterais do palco A –, 4 mil convidados terão o privilégio de ver os astros de perto durante uma hora e meia.
O metrô vendeu 1.632 bilhetes especiais para o show dos Rolling Stones, até as 16 horas de ontem. Os tíquetes com hora marcada são obrigatórios para o embarque na noite de 18 fevereiro, das 18h à meia-noite. A empresa colocou à venda 90 mil bilhetes com hora marcada.
A comercialização dos tíquetes acontece nas estações Carioca e Estácio até as 17h45 do dia 18 ou quando acabar o estoque. O ponto de venda atende os interessados de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h, e sábados, das 9h às 18h. O preço do bilhete especial é igual ao do bilhete unitário – R$ 2,20 – e a compra só pode ser feita em dinheiro. A volta para casa será com bilhetes comuns, mas o metrô aconselha que também sejam comprados com antecedência.
Fonte: Jornal do Brasil, on line
Está chegando a hora.
O show será eternizado em DVD. Quem sabe seremos eternos, também.

Saudades de Dom Helder...


"A lei consiste em amar a Deus e amar o próximo. Ora, quem ama o próximo já cumpriu metade da lei".

"Os homens gastam-se tanto em palavras que não podem entender o silêncio de Deus. Não te deixes dilacerar entre o ontem e o amanhã. Vive sempre e apenas o hoje de Deus."

"Se eu dou comida aos pobres, eles me chamam de santo. Se eu pergunto porque os pobres não têm comida, eles me chamam de comunista."

"O amor é o perfume das almas."

"O anti-amor é o egoísmo, é o fechamento em si que torna impossível qualquer encontro com quem quer que seja. Quem pensa e praclama que ama demais, ama de menos."

"Na pobreza, existe apenas o indispensável, mas existe. Na miséria, nem o indispensável existe."

"Basta que um botão erre de casa para que o desencontro seja total."

"Um dos meus anseios de chegar ao infinito é a esperança de que, ao menos de lá, as paralelas se encontrem!"

"A única guerra legítima é aquela que se declara contra o subdesenvolvimento e a miséria."

NÃO CREIAS NA ARROGÂNCIA
Não te impressiona saber

que o mais anônimo dos átomos
tem poder
capaz de arrasar cidades?
No entanto repara
como se apagam e se escondem
como se nada fossem,
nada valessem,
nada pudessem...
Rio de Janeiro, 13/7/56.


O QUE TE TORNOU TÃO ASSUSTADIÇA, POMBA DA PAZ?
Por que te custa tanto
pousar no chão dos homens?
Por que não te aninhas,
um instante,
em minhas mãos
de homem sedento de paz!?...
Só virás
quando tivermos,
efetivamente,
abolido as guerras,
serenado o egoísmo,
posto limite à ambição?
quando entendermos
que não és um talismã
que atrai a paz
mas recompensada paz,
que nos cabe criar?...
Recife, 13/2/76.


LEMBRANDO S. FRANCISCO
Que pena eu sinto de quem atravanca e atropela de tal modo a vida que nunca descobre tempo de parar diante de uma árvore, ou de assistir a um aurora ou a um pôr-do-sol...

Faz falta! Não dispõe de tempo para contemplar o vôo das aves e para escutar o canto dos passarinhos.
O pior é que a criatura humana, chamada pelo Criador a participar de sua inteligência divina e de seu poder criador, esmaga a natureza, ao invés de conviver com ela... Haja vista a poluição das águas, da terra, do ar...
A poluição das águas mata os rios e as lagoas, mata os peixes e os pescadores, que ficam sem comida, sem o ganha-pão para a família.
S. Francisco, como imitador extraordinário de Cristo, deu exemplo de um profundo amor pela pobreza.
Mas ele jamais chamaria a miséria de irmã. A miséria esmaga filhas e filhos de Deus, e é um insulto ao Criador e Pai.
Um dos grandes pecados sociais dos nosso tempos consiste na aberração de morrerem, todo ano, de fome, no mundo, milhões de criaturas humanas.
E isto se passa quando o progresso tecnológico e o avanço eletrônico fornecem ao homem de hoje possibilidade plena de eliminar a miséria na terra.
Ao invés disso, a corrida armamentista fornece ao homem de hoje mais de 40 vezes o necessário para suprimir a vida em nosso planeta.
Mesmo que não rebente uma guerra nuclear, química e biológica, os gastos com os armamentos modernos são tão astronômicos que tomam impossível uma superação efetiva da miséria.
Os franciscanos, dentro do mais puro espírito de S. Francisco, costumam saudar-se exclamando: "Paz e bem".
A Igreja vem insistindo em lembrar que uma paz verdadeira e duradoura será impossível sem justiça e amor. Quem sabe, a saudação franciscana ficaria mais completa, se disséssemos: justiça, amor e paz!


Dom Hélder Pessoa Câmara nasceu em Fortaleza, Ceará, no dia 7 de fevereiro de 1909, filho João Câmara Filho e Adelaide Pessoa Câmara.
Foi nomeado bispo auxiliar do Rio de Janeiro no dia 3 de março de 1952, foi ordenado bispo, aos 43 anos de idade, no dia 20 de abril de 1952, pelas mãos de Dom Jaime Cardeal de Barros Câmara, Dom Rosalvo Costa Rego, Dom Jorge Marcos de Oliveira.


No dia 12 de março de 1964 foi designado para ser Arcebispo de Olinda e Recife, Pernambuco, Brasil, múnus que exerceu até 2 de abril de 1985.
Destacou-se na defesa dos direitos humanos e políticos no Brasil.
Dom Hélder faleceu em Recife, Pernambuco, Brasil, no dia 27 de agosto de 1999, aos 90 anos de idade e 47 anos de episcopado.

Um símbolo da Paz, do Amor e da Fraternidade.

Que falta faz em tempos de Fomes-Zero que são criados para desviar e aumentar a miséria do povo brasileiro.